Em Blog, Empresarial

Possibilitar ao cliente a compra dos produtos mais desejados com um superdesconto é um atrativo e tanto para impulsionar as vendas no comércio. A Black Friday é uma das datas mais esperadas pelos consumidores, que ficam de olho nas promoções.

Neste ano, a Black Friday será no dia 23 de novembro. Apesar do forte apelo comercial, é preciso tomar alguns cuidados para não cair em situações desagradáveis e amargar um prejuízo.

Preços muito abaixo do mercado, produtos sem informação de procedência ou ainda sem nota fiscal, empresas ou sites desconhecidos devem levantar suspeita.

Para fazer uma compra segura, é importante observar se as oportunidades de descontos são reais e até que ponto a transação vale pena.

E-commerce: vantagens e cuidados

Comprar pela internet já se tornou um hábito para muitas pessoas. Entre as vantagens de quem prefere esse tipo de transação estão a comodidade, a segurança e a variedade de opções de produtos.

Porém, é preciso estar atento antes de informar dados pessoais e bancários em um site. Verifique a política de privacidade e também a existência do protocolo “https”. Confira ainda se há imagem de um cadeado ao lado da barra de endereços do navegador. São essas as referências de um site seguro.

Dicas para aproveitar a Black Friday

Para que a sua experiência na Black Friday não se transforme em uma “Black Fraude” acompanhe a seguir 4 dicas essenciais.

1- Fique de olho nos preços

Evite sair comprando de maneira descontrolada. Ao decidir qual ou quais produtos você tem interesse em comprar durante a promoção, faça um monitoramento do preço antes da Black Friday.

Dessa forma, será possível avaliar se o desconto apresentado realmente compensa. Isso é necessário porque muitas empresas sobem o valor de produtos dias antes da data promocional. Depois disso, elas anunciam o preço mais baixo como desconto – porém, esse já era o valor do produto anteriormente.

Outra recomendação é comparar o preço do produto da Black Friday com os oferecidos em outras lojas. Se estiver barato demais, desconfie.

2- Pesquise informações da empresa

Não é novidade o fato de que consumidores são atraídos por anúncios de preços baixos e acabam caindo em ciladas. Além de verificar os fatores de segurança do site citados anteriormente, observe se o número do CNPJ da empresa está visível no site.

No caso de marcas desconhecidas, é possível fazer uma busca, com o número do CNPJ, para confirmar se o negócio está ativo. É importante pesquisar também a procedência da loja e procurar as avaliações de outros clientes.

Outra dica é acessar o histórico de reclamações no site consumidor.gov.br, do Ministério da Justiça, ou no Procon do seu município, e pesquisar o nome da loja.

3- Avalie a segurança do site

Para evitar cair em páginas que transmitem vírus ou correr o risco de ter os seus dados cadastrais (informações pessoais e bancárias) hackeados, preste atenção ao nível de segurança da página.

É totalmente desaconselhável fazer uma compra online utilizando redes públicas de wi-fi. Também é necessário observar se as atualizações indicadas pelo fabricante são feitas em seu computador, a fim de que os mecanismos antivírus estejam em atividade.

Vale reforçar a importância de o endereço eletrônico começar com o https:// e a presença do cadeado na parte esquerda superior. São detalhes imprescindíveis para a garantia de privacidade das informações digitadas no site.

4- Confira as condições de entrega e de devolução

Depois de verificar a validade dos preços, a autenticidade da empresa e a segurança dos dados, é recomendável conferir as condições de entrega e de devolução do produto.

Procure pela política de entregas, trocas e devoluções nos termos e condições de uso do site.

Neste espaço devem constar as informações a respeito dos prazos de entrega das mercadorias, troca de produtos com defeito e devolução por arrependimento. A contar do recebimento do produto, o cliente tem até sete dias corridos para desistir da compra, conforme assegura o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Somente depois de estar ciente de cada etapa que envolve a compra e a entrega do produto é que a negociação deve ser finalizada.

Verifique ainda se o site apresenta endereço físico da loja, telefone e canais de contato com o consumidor, como Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) ou chat.

Lojas físicas também participam

Muitas lojas físicas também aproveitam a Black Friday para fazer promoções. Da mesma maneira que na compra online, o consumidor deve tomar alguns cuidados básicos.

Avalie se o valor cobrado equivale ao preço anunciado pela loja e, ainda, as condições do produto. Nesse tipo de promoção, a tendência é de lojas cheias, por isso, é importante ter cautela e paciência.

Planejamento e pesquisa

Planejamento e pesquisa são fundamentais para que a sua Black Friday seja realmente vantajosa. Lembre-se de guardar folhetos com as propagandas dos descontos ou de fazer o print screen da tela do computador ou do celular.

Esses procedimentos ajudarão na conferência das promoções e podem servir de prova nos casos em que o consumidor se sentir lesado.

Acompanhe a conta corrente e a fatura do cartão para verificar as informações sobre o pagamento. Em caso de alguma anormalidade, comunique a administradora ou o banco.

Evite ainda clicar em links ou promoções enviadas por e-mail. Nessa época do ano é comum que golpistas entrem em ação, tendo em vista a ansiedade dos consumidores.

Busque orientação e fique por dentro dos direitos do consumidor a fim de evitar possíveis transtornos.

Em caso de situações abusivas ou de problemas com o produto, tanto de lojas físicas ou de e-commerce, o consumidor deve procurar o fornecedor. Se o contato não resultar em uma solução, deve ser feita uma denúncia no Procon.

 

Artigos recomendados

Deixe um comentário